segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Verão Sergipe

Gente, olhem que delicinha isso aqui (Vejam aí do lado esquerdo do brogui)!!
Consegui colocar esse link para a felicidade no nosso blog, não é uma alegria sem fim?!?
Não é uma propaganda, é uma demonstração de amor e carinho pelos meus leitores lindos. Essa dica é um presentão (atrasado) de Natal pra vocês.
Confiram a programação e tentem resistir!
Já aviso logo quem quiser ir lá pra casa de praia, tem que se programar cedo, principalmente nos dias de shows na Caueira.
Saulinho, viajei pela Varig-Gol e conferi a página do Verão Sergipe. Vocês estão de parabéns. Só continuarei batendo na tecla da qualificação. E ainda escreverei um post inteiro sobre isso. Qualificaaaaaaaaaaaaaaaaa !!!

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Babilônia


Ligaram o flash automático na empresa de Carlinha. É um disparo a cada segundo. Imaginem que hoje pela manhã, enquanto Dulce Maria foi ao banheiro, houve troca de presidentes. A pessoa não pode mais fazer xixi ou beber água, que perde minutos cruciais. Ê, ô, bobeô, danÇÔ!! E dançou mesmo porque aqui é literalmente a dança das cadeiras. Por enquanto a gente não brinca, só observa. Mas tem gente empenhado na brincadeira! O presidente foi substituído pelo Gaspar. O Gaspar na verdade nunca apareceu, mas se aborreceu! Se aborreceu e deu o vazzare em grande estilo. Chamou o papa de paspalhão, de feio e de bobo. Assim, na frente de toda a igreja reunida. Isso é que é coragem, aplausos para o rapaz! E agora está instituída a "Festinha da Uva". Agora é a Babilônia, agora é lasqueira, é o famigerado(piada interna) "Salve-se Quem Puderrr"!!


A própria Carlinha agora está tão no clima que só quer saber de filmes temáticos:


Senhores do Crime, Conduta de Risco, Carga Explosiva, O Gangster, O Homem que burlou a máfia.


Carlinha, me ligue quando terminar de assistir para dizer como te ajudaram a entender as mentes perigosas(ia rri arri arri- risadinha macabra).

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Aracaju (vis)


Meu imenso amor, eu chego já!! Coisa mais linda deste World, nenhuma palavra pode descrever o que sinto quando te vejo...can´t waitttttt!!!!

eu danço pop pop.




Frisson 01: Afinal, quem são essas tal de Camila & Raquel??
Frisson 02: Camila & Raquel brigaram feio, de sair sangue. Parece que a primeira queria passar a páscoa em Buenos Aires, e a segunda, em Santiago do Chile. E desde então a confusão não para. A mãe de Camila veio da Europa para tentar amenizar a situação.
Frisson 03: Os geminianos possuem mais personalidades que os capricornianos.
Frisson 04: Esse post irá esclarecer os frissons anteriores.
Well, meus queridos leitores. Os que acompanham o blog devem ter percebido a ausência de minha nobre compañera de escrivinhações.
Sim, a vida distanciou um pouco nossas rotinas, estamos numa new fase. Um troço comum que acontece aos adultos nas grandes cidades(aceitem, crianças. Um dias vocês lembrarão destas sábias palavras).
Mas aqui estão as escreve-escreve, para desejar um Natal Juiáá! Um Natal, MARA!!
E para que essa energia maravilhosa chegue até vocês, fizemos esse vídeo especialíssimo(foram horas e horas de ensaio).
A capricorniana aparece mais e colorida, para acabar com os frissons 01 e 03, ou seja: quem não conhece saberá parfaitamente quem somos nós. E de lambuja, provaremos que os capricornianos também podem possuir múltipas personalidades. E ainda fazemos homenagem ao year de teatro de mi amiga. Vida longaaaaaa!!

é fogo mesmo

Certo quem disse, temperamento latino é fogo!
E no trabalho de Carlinha, o clima está mais pra latino do que pra natalino. É toma lá da cá. Pá, pou!! Até a própria, que prefere uma vibração zen, agora está mais para sem. Sem paciência pra tanta maluquice e, principalmente pra tanta hipocrisia. O que ela queria mesmo era fazer um blog assim como esse e escrever tudo, tudinho. Desde às fofocas até a roubalheira. Se a verdade fosse viável e Carlinha estivesse segura, seu blog seria campeão de acessos!

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Franccino é a solução. Ou: muito mais simples do que parece. Ou ainda: Happy Birthday Bao.

Já ia mesmo escrever para Barbarela(Cravo & Canela) em homenagem a semana Bao(é a first week do december month).


Mas agora tenho ouuuuuuuuuuuuuutro motivo.


O case é que ontem eu estava macambuzia, triste e muito, mais muito, MUITÍSSIMO decepcionada com as pessoas em geral. Rezei, mantrei, ouvi Chico Xavier e fui melhorando. Ainda assim estava de broken heart. Fiquei lendo textos buddhistas e espíritas, pensei(seriamente) em voltar à terapia junguiana. E eis que ligo pra minha amiga aniversariante da semana e, conversa vai, conversa vem, ela disse tudo em uma só frase: "Você precisa é de um franccino".


Eu sabia que estava faltando alguma coisa. Uma pequenina peça de uma imensa engrenagem, mas que faz toda a diferença. Baobarela ontem entregou a peça e agora finalmente está tudo bem de verdade.


Um bom franccino num finde tarde no Deck Brasil. Um franccino e uma água, s'il vous plait.


E o mais engraçado é que quando fui procurar uma foto do Franccino para ilustrar este post, achei a reportagem "Franccino contra frappuccino" na revista Exame. Mara!


Em outro post, escreverei dicas sobre ice-coffees(Em Brasila, Curitiba, Aracajuvis e San Paul).


E a foto ilustrativa, eu mesmo vou tirar e coloco después(Não achei nenhuma bacana no google imagens).




(O pateta tem três dias para chegar com o bolo no south lake)

Serviço:

http://www.franscorp.com.br/

http://portalexame.abril.com.br/revista/exame/edicoes/0897/marketing/m0133369.html

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

uma meia verdade é uma mentira inteira

Sabe que há uns dois meses atrás eu sonhei que alguém queria tirar a minha função "bozo" e eu ficava revoltadaaaa... E ainda dizia que era um compromisso cármico meu...ser o bozo!! Eu queria mesmo era ser a boza, de verdade...Orasssss!! Boza e ursa. Ursa e boza. Esse é o meu way.

Depois de uma muito breve e efêmera saída, voltarei à minha toca, onde vivo serena e feliz com os meus seletos companheiros. Saí e estava um barulho imenso, um troço confuso e sofrido. Achei tudo feio e quis voltar. Enquanto escrevo, traço o meu caminho de volta, tranqüila, serena e sim, com uma tristeza considerável. Mas não como um bichinho ameaçado, pusilânime. Sussa. No estilo Gugu de "beleza, tá tudo certo, vamo nessa". Vamo nessa. Já consigo sentir o aconchego e a luz da minha humilde toca do urso.

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Rapidinha 02

Amores, um aviso aos navegantes que não possuem email institucional(é my case).
Cadastrem um endereço apresentável. Parece óbvio mas sempre rola uns: thithizinho@abalou.com.br, jujubeijoca@delicia.com, chicleteraeu@chiclete.com, deia.manhosa@tequero.com
Pega maaaaaaaaaaaaaaaall né, gente?!

Rapidinha 01


Eu PRECISO comentar. Vocês conhecem o Zimbrus, né? Aquele restaurante com vários nomes da 305 south. Ele vive numa eterna crise de identidade....Não sabe se é Zimbrus, Jera ou Jera Grill. E o melhor é a super novidade, mega destaque em todas as seções de bebidas: "AGORA EM COPO DE VIDRO". O suco que eu sempre bebo agora custa R$ 7,04(sim, você leu sete reais e quatro centavos). Mas poxa gente!!!!!!!!! É em copo de vidro!! Tá uma verdadeira bagatela!
Ps: Só por curiosidade, hoje almocei lá com o boss e o suco veio em copo de plástico. Ahhhhhhhh!!

tirando ondinha

video

De que vale Pelé, Felipe Massa, Governador e etc, se Barbarela & Pá(meu cunhigo divertido) estavam far away?

Cadê você Baooooooooooooooooooooooooooooooo??Levanta aíííííí!!

Fla, sobe em cima da Estátua da Liberdade and say hello to your friends!

terça-feira, 28 de outubro de 2008

a tola e outras histórias


Tolo é quem confia sempre; tolo é quem continua confiando, contrariamente ao que recomendam todas as suas experiências vividas. Você o engana, e ele confia em você; você o engana de novo, e ele continua confiando; você o engana mais uma vez, e ele ainda confia em você. Então você dirá que ele é um tolo, que não aprende. A confiança dele é enorme; é uma confiança tão pura que ninguém consegue corrompê-la.Seja um tolo no sentido taoísta, no sentido do Zen. Não tente criar uma muralha de conhecimentos em torno de você. Seja qual for a experiência que venha a você, deixe-a acontecer e depois siga em frente, descartando-se dela. Vá limpando sua mente o tempo todo; vá morrendo para o passado, de forma a permanecer no presente, no aqui-agora, como se tivesse acabado de nascer, como se fosse um bebê. No começo isso será muito difícil. O mundo começará a tirar vantagem de você... deixe que o façam. São uns pobres companheiros. Ainda que trapaceiem com você, que o enganem e roubem, deixe acontecer, porque aquilo que é realmente seu não pode ser roubado, o que realmente lhe pertence ninguém pode tirar de você. E a cada vez que você não permitir que as circunstâncias o corrompam, a oportunidade se transformará em um efeito de integração dentro de você. A sua alma se tornará mais cristalizada.

Osho Dang Dang Doko Dang Chapter2


Eu ia escrever sobre uma coisa parecida, e resolvi tirar o textinho "Osho" do dia. Achei fera cair justo nesse, e é muito oportuno.

Na verdade mesmo eu nem deveria escrever agora, mas quero e vou escrever, ponto. Não adianta correr, ter ataques de pânico, taquicardia, nada. Até porque estou sem uma gota de saúde pra isso. Só lembro de um amigo muiiiiiito querido, que diz que a calma(leia: lerdeza) e a paciência são sempre bem-vindas. Eu não concordo 100% porque ainda acho que uma adrenalinazinha de vez em quando faz muito bem. E eu ainda fico disposta a trabalhar com muita adrenalina, desde que eu tenha a nítida percepção de que está funcionando bem assim. Porque não dá pra gastar tempo, dinheiro e energia num troço que não vai pra frente.

Enfim, nada disso importa neste momento porque não tenho mais opção, senão a calma e a paciência. Adorei a "sorte" de hoje, porque casa direitinho com o que eu estava pensando.

As coisinhas externas estão desabando em cima de moá e de meus pouquíssimos portos-seguros. Atenção, pânico geraaaaaal! Pânico, terror e ranger de dentes(iarriarriaarri-risadinha macabra:)

Tudo muito estranhoooooo, um monte de mistérios no ar, as coisinhas mais bobas e cotidianas começam a emperrar, que dá medo até de sair de casa. As coisas grandes então nem se fala. Isso porque eu estou excluindo o trabalho desse contexto. Porque os babados de lá, sozinhos, já dão um best-seller.

Essas coisinhas dando errado, toda hora toda hora, vão aperriando o cabra(no caso, eu). Chega uma hora que não tem Osho que agüente! Ah, meu velho, dessa forma fica difícil !! É muito perrengue pra pouco(muito pouco) ser humano. Aí vem uma agonia danada, porque não podemos parar pra rezar, refletir, meditar e planejar qual será a melhor postura diante do tal contexto... a coisa vai te aperriando, consumindo, agoniando até o momento do foda-se. Pronto, a partir de agora, foda-se. E você, vá sentar e espere sua vez...oxenteeeeeeee!! Cada uma...! é Sim! (ler com entonação euricolística). Tudo no seu tempo e sem afobação. Acabou-se o tempo, o estômago, o raciocínio e principalmente o dinheiro. Agora, sente e espere. Eu sou uma só, e uma só com pouco dinheiro. O dia não tem 60 horas e meus portos-seguros estão pelejando pra sobreviver à turbulência também. Então o jeito é fazer as coisas com calma e sem querer mil horas pra pensar. Bora sem pensar mesmo. Só respirar e se conectar ao bem, e ir fazendo as coisas, uma de cada vez, mas sempre respirando. E não dá em nada essa história de ficar pra lá e pra cá pensando quem cabrunco fez essa macumba, quem deixou esse ebó na nossa porta e quem quer tanto nosso mal. E pior é ficar naquela dúvida se fizeram ou se nós mesmos construimos, se é um processo cármico ou se...ahhhhh, foda-se também. Caguei pra tudo isso. Porque nunca soube, nem quando dividi o mesmo quarto(e minha vida) com uma clarividente super-ultra-master-mega médium, high plus iluminada. Aliás, foi dessa experiência que nasceram os maiores questionamentos, soltos por aí até hoje. A merda pode vir de qualquer lugar, inclusive dos portos. É neurotizante querer advinhar. E vindo de dentro, do céu ou do raio-que-o-parta, o certo é que não é capaz de mudar ou roubar o que é verdadeiramente meu. E se eu gosto tanto de ser o bozo(ou o tolo, como diz Osho), é bom mesmo que eu não saiba e se possível, trate a pão-de-ló mesmo o ser que mais atrapalha minha jornada terrena. Fica tudo uma delícia quando você percebe isso de verdade, quando é um troço seu, puro e verdadeiro, e não um dogma ou dica que alguém compartilhou. Você sente o troço de verdade: a raiva passa, passam os julgamentos, passa tudo. Você está ali acreditando de verdade nas pessoas e nas situações, e quer de verdade o bem dela. VocÊ acredita que ela pode ser melhor e deseja isso profundamente. É uma das melhores sensações, ever. Pena que eu não fico nesse estado pra sempre. Ou nãão...!







segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Falta sono, mas não falta assunto


Esse post é muito mais pela falta de sono(ainda não cabe a palavra insônia), do que pela importância do conteúdo...rsrrsrs...!

Estou sem sono porque tomei muita cafeína.

Tomei muita cafeína porque o antiinflamatório que eu já tinha em casa(diclofenaco potássico), já vinha com cafeína e paracetamol.

Além do café e chá verde que é de praxe.

E tomei o antiinflamatório porque minha garganta inchou e quase fecha, de uma hora pra outra.

Isso porque eu engoli sapo. Não expressei minha vontade. É o que disse um grande amigo, e é a minha opinião sincera também.

Os fatos me trouxeram de volta à uma reflexão que já costumava fazer antes. Sobre respeitar os limites alheios e compreender também. Meu pai me ajudou bastante nisso. Porque várias vezes, quando alguém nos dava uma notícia totalmente BABADO, ele logo falava: "Ah, mas ele teve seus motivos. Não vamos julgar apenas por esse ato, etc". Claaaro que não significa que iremos aceitar tudo guela abaixo. Mas é bom tentar entender os limites da pessoa e o contexto. Eu tento fazer isso no trabalho, em casa, nas relações em geral.

O mais difícil e fera foi com meu irmãozinhozão. Foi fera porque percebi isso sozinha, e o que sinto é de verdade e independe(na medida do possível) da opinião alheia. Ele sempre foi o meu brother, super parsa! E de repente, precisou de um momento dele...Assim, far away from family. E eu estou inclusa na family. Seria easy ficar puta, julgar, xingar ele, xingar a esposa, fazer corrente de oração etc. Tá, confesso que fiquei indignada algumas vezes. Mas continuo com a mesma opinião inicial: o bicho é fera, é sensato, e nós o amamos. As pessoas precisam de um espaço diferente do nosso. De um tempo diferente. De coisas diferentes. As pessoas não amam da mesma forma. E às vezes nem amam. Mas estamos aí, na área. Com a família e com a chosen family.

A questão é que eu nunca mais tinha refletido sobre o MEU espaço, sobre as minhas limitações. Primeiro a gente é criança besta que aceita tudo e faz toda sorte de bobagens pra fazer a vontade dos outros. Depois fazemos análise junguiana e descobrimos que precisamos sim, que nos respeitem. Precisamos dizer não muitas vezes e precisamos definir bem nossas limitações, para que toooooooodos a nossa volta percebam. Mas aí começamos a estudar, viver e trabalhar no espiritismo, e fica difícil saber o que é caridade e o que é fuleragem. Acho lindo e muito nobre a abnegação, a entrega, o desapego. Mas não é simples como eu pensava. Não é só ser o bozo sempre. Ainda mais para seres pouco iluminados como eu. Não rola assim de uma hora pra outra, só porque eu quero. E outra: nem sempre ajudamos o mundo com isso. É difícil dizer quando fui abestalhada e quando fui caridosa de fato. Enfim, eu tenho limites. Queria muito ser super legal e tolerar facilmente tudo que viesse de minha família e chosen family, pelo menos! Mas não sou. Não adianta forçar a barra. Tem coisas que eu aceito de boa. Outras coisas fecham minha garganta, me dão febre. Dessa vez não vai dar. Até porque sem saúde eu não consigo fazer mais nada, quem dirá a caridade. Uma preta-velha já tinha me dito uma vez, pra não fazer além dos meus limites. Eu lembro disso, mas dessa vez achei que poderia expandiiiirr um pouco mais. Fica pra próxima. Um dia serei doce, feliz, sábia e sensata como esses guias muito fofos. E olhe que nem eles agradam a todos...;)

Ps: A imagem foi emprestada do http://www.betoblogspot.blogspot.com/

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Reflita antes de cutucar o urso


Já diria o meu grande e muito querido amigo Dum, contando mais uma de suas aventuras: "Eu sou um urso...Eu estou quieto...Aí chega Ciclana para acordar o urso". É bem verdade que a história tinha toooooda uma conotação sexual e que eu vivo de rir toda vez que lembro dele contando.

Mas indo mais além dessa conotação, percebi que isso se aplica a 90% das situações em minha vida.

E, diante do que aconteceu nos últimos 15 dias, me senti na obrigação de escrever. Eu sou um urso, ponto! Estou aqui em paz, rezando, meditando, curtindo e me sentindo extremamente feliz. Há alguns seres muito fofos e que eu amo de verdade, mas que chateiam e me ferem, gratuitamente. Adorei essa idéia do urso, fico imaginando a metáfora realmente acontecendo. O urso está lá, todo sereno. E então chegam aqueles moleques cutucando e jogando pedra, só de birra. Só de curiosidade, pra ver o que acontece. Então, se você está bêbado transtornado às cinco da manhã, já fez toda sorte de maluquices na madrugada e Deus sabe quando mais, por favor, não acorde o urso por pura maldade. O urso é legal e ele te ama. Ele com certeza irá perdoar, e o que é pior, ele pode achar que alguma coisa realmente está acontecendo, e querer ajudar, interagir, etc. Amiguinhos, por favor não perturbem o urso amigo à toa, por pura maldade. Quando acordarem o urso, tenham no coração algo realmente puro, bom e com muita luz para oferecer.

Ah! é bão registrar que eu tô com muita saudade do meu ursinho Duummmdum! uma beijoca especialíssima pra ele. Namastê.

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Próxima parada: Goiânia

Agora quero dar todas as dicas possíveis, porque vi o quanto são úteis! Isso porque eu e Flavor queríamos saber se o site bleudame.com era mesmo confiável. Nessa, e em outras situações, contamos sempre com os amigos blogueiros que nos dizem sua experiência pessoal.

Por isso faço questão de dizer: fui em Goiânia neste no último finde e voltei encantada. Mudei minha opinião. O hotel- Confort Suítes, não deixou nada a desejar. E olhe que eu sou chatíssima, olho até as paredes. A localização é maravilhosa(shopping, supermercado, Outback, tudo ao lado), a infra-estrutura muito bacana(piscina legal, quarto com tudo em cima etc), e o precinho super camarada: R$ 139,00 a diária do casal, plus taxas! E claro, os funcionários foram 100%, e nos explicaram tudo que queríamos saber sobre a cidade(o que aliás nunca aconteceu antes, rsrsrrss).

Tá, eu sei que é exagero mas eu vou dizer...Achei desnecessário o porta-trecos do banheiro. Ué gente, achei mesmo. Fiquei pensando em todos os porta-trecos da rede no mundo inteiro, e achei que era supérfluo, não vou mentir. Tirei até foto da pia, com e sem, para provar que não faz a menor diferença em nossas vidas. Mas é minha única reclamação:D Até o shampoo e o condicionador são bons. Aliás, meu último apelo: vamos parar de fazer coleção de mini-shampoos de hotel. A gente fica acumulando essas coisas até passar da validade, isso faz mal! Que a energia circule e que haja menos desperdício, hunftttt!

A outra dica megaaaaaaaaa valiosa é o sambinha do bar Royal, no Brava Mall. É um bar aberto, onde tem chopp Heineken e música da melhor qualidade(Cartola, Chico, Noel etc). Vou colocar o vídeo já já. É na hora do almoço e vai até a tardinha. A grande coincidência foi que reencontramos a cantora Grace Carvalho, a mesma que ouvimos durante tooooodo o Carnaval em Pirenópolis. Eu nunca ia reconhecer a moça com o nove corte de cabelo, mas revelamos o mistério quando ela resolveu dar uma canjinha! Supimpa!

E pra finalizar, fomos em dois restaurantes do bom prato, ambos maravilhosos. A comida estava maravilhosa, o atendimento foi 10, não deixou nada a desejar!

Nas fotos, sobremesas do L'Etoile d'Argent(nhamiiii)!

Serviço:

Hotel:

http://www.atlantica-hotels.com/atlantica/hoteis/Estrutura.asp?Numfuncionalidade=292&NumHotel=26&Cidade=Goiânia&CodMenu=1&titulo=Localização



Restaurantes:

Ad'oro Restaurante- rua 146. Setor Marista. (62) 3092-5558

L'Etoile d'Argent- rua 146. Setor Marista. Telefone: (62) 3281-9676


Bar Royal: Shopping Brava Mall, em frente ao Parque Vaca Brava(uma gracinha de parque), no Setor Bueno
video

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

O Redentor parte 2- breve e simples análise espiritual


Se deixar, eu escrevo até a parte 10. O filme é bem bacana, gente! Vale a pena ver de novo. Pena que eu vi no Canal Brasil e nunca mais passou de novo. Fora que eu não pude voltar, pausar etc. Enfim, deu pra fazer algumas reflexões, como a que segue.

O personagem de Pedro Cardoso não é lá nenhum santo, nem mártir, nem nada, vamos combinar aqui. Em uma entrevista, Cláudio Torres(diretor) falou sobre a importância de perdoar e dividir a mala. Ok. É importante. Mas fica super claro que não houve uma mudança interior, de dentro pra fora. Parece um pouco clichetes, mas nós sabemos como é que funciona. Ele não é nenhum um exemplo de abnegação, humildade, amor nem nada que o valha. Pelo contrário. O que o guia é o medo de arder no fogo do inferno, o medo de um Deus poderoso e punitivo. Fico triste porque sei que muitas pessoas se comportam como Célio(Pedro Cardoso), e tem sua fé fundamentada no medo. Aí não vale, baixitos. Esses nobres sentimentos, vêm naturalmente, só você pode descobrir. É uma experiência única e intransferível, que ninguém pode impor. Nem a bíblia, nem os livros de auto-ajuda, nem qualquer religião, nada. E nem o tal Deus como aparece no filme. Até porque Deus, Jesus, Oxalá, Buddha e todos os outros seres super iluminados, jamais fariam uma coisa dessas. Aliás, nenhuma entidade mais ou menos evoluída apareceria assim, não é? O que elas costumam fazer é nos inspirar bons pensamentos e, muitas vezes, nos dão ótimos e valiosos conselhos. Mas tudo bem, achei super válida a intenção do diretor, do roteirista. E vale ainda mais com o olhar social. Se cada um não está consciente de sua parte, então os "dirigentes" e donos do dim-dim devem tomar as decisões mais sábias pelo coletivo. Sonho com o dia em que seremos todos irmãos de luz, dirigentes de nossas próprias vidas e donos das pequenas coisas que nos alegrem e nos façam viver melhor. Namastê.

segunda-feira, 18 de agosto de 2008

O Redentor parte 1- Brasila Maravila


É difícil saber o que escrever primeiro. Tantas coisas chamaram minha atenção no filme "O Redentor", que é complicado falar sobre apenas um aspecto.

First of all...

Há uma coisa engraçadíssima que eu comecei a achar curiosa há alguns anos. As pessoas acham que Brasília, além de ser uma entidade, é má e independente. E poucas pessoas lembram do seu real significado, talvez porque seja mais doloroso. É uma delícia colocar a culpa em um terceiro, ainda mais se ele nem existe. Mais fácil que admitir seu próprio erro, ou de sua família, ou(num círculo ainda maior) de seus representantes políticos. O filme mostra a visão da maioria dos brasileiros, e o personagem de Pedro Cardoso(Célio) cita a cidade como uma entidade suja, corrupta, nojenta. Diz que se uma bomba explodisse aqui, tudo iria se resolver. E aparece a imagem do Congresso entre raios, trovões e escuridão. Assistindo à cena, me veio a primeira vontade de escrever. Justamente para fazer essa pequenina lembrança aos navegantes:

(Eterno nessa)Brasila, Bras-ilha ou Brasília é uma cidade que REPRESENTA oficialmente todos os estados desse país, além dos países do mundo(com as embaixadas e demais representações, oficiais ou não). Não posso mentir dizendo que há uma enorme vida independente da política, já que minha vida aqui e minha vida pra cá está 100% relacionada a ela). Não só a minha como a da maioria dos meus amigos. Eu sei que há essa vida mais independente, mas realmente eu seria a última pessoa a escrever sobre isso. Aqui estão os políticos que NÓS, de outros estados, escolhemos para nos representar. Aqui está a cara dos sergipanos, baianos, cariocas, gaúchos, mineiros e de cada brasileiro que exerceu a cidadania com seu voto. Brasília NÃO É uma entidade a parte, que o diabo criou e atormenta o país. Ela é você, seu pai, seu irmão, sua avó, sua cunhada. Ela tem a sua cara, a sua identidade. É um grande espelho. Politicamente falando, é assim que a banda toca. Em outra oportunidade, é claro que falarei sobre o plano de Lúcio Costa, sobre Niemeyer, sobre a vida cultural e o paisagismo da cidade. Ah, e sobre o céu! Chega de mentiras e outras coisas feias. Em outro post vocês farão um agradável passeio pela vida tranquila, serena, inteligente e DESIDRATADA da nossa capital.

quarta-feira, 16 de julho de 2008

Sweet Bug Sunshine


Love is always the answer


We're playing those mind games togetherPushing the barriers, planting seedsPlaying the mind guerrillaChanting the mantra peace on earthWe all been playingthose mind games foreverSome kinda druid dudes lifting the veilDoing the mind guerrillaSome call it magic, the search for the grail Love is the answer and you know that for sure Love is a flowerYou got to let it, you got to let it growSo keep on playingthose mind games togetherFaith in the future, outta the nowYou just can't beat on those mind guerrillasAbsolute elsewherein the stones of your mindYeah we're playingthose mind games foreverProjecting our images in space and in timeYes is the answer and you know that for sureYes is surrender, you got to let it,you got to let it goSo keep on playingthose mind games togetherDoing the ritual dance in the sunMillions of mind guerrillasPutting their soul power to the karmic wheelKeep on playing those mind games foreverRaising the spirit of peace and loveLove...I want you to make love, not warI know you've heard it before

Não preciso dizer muito...tardo, mas não falho:D

video

quinta-feira, 12 de junho de 2008

SPORTTTTTTTTTT


Depois de alguns dias sem escrever(motivos de força maior:D), voltamos para anunciar com muita alegria a vitória do nosso queridíssimo SPORT CLUB DO RECIFE!!Daqui a pouco eu coloco os vídeos dos Leões do Cerrado, que assistiram o jogo lá no SIA(aqui na eterna Brasila).
"Quem ama, enobrece e alastra a verdadeira chama, nunca quebra a corrente somente encanta....!!"

terça-feira, 29 de abril de 2008

Espanha marca.Bubu marca. Didi marca. Muita gente marca.

Já se vão alguns anos longe do convívio da Bubu, e só agora consigo me desfazer de alguns vícios que nossa relação trouxe. Ou talvez seja melhor dizer me refazer de alguns vícios. Ontem estava passando de carro pela 114 sul, e simplesmente resolvi parar na farmácia. Só pra olhar mesmo. Há muitos anos não fazia isso, pois sempre ouvia a voz ainda adolescente de Bubu me dizendo que era um absurdo e que eu era hipocondríaca. Até jogar fora meus remedinhos, coitados. Mas ontem pude passear tranquila, só pra olhar mesmo e ver as novidades. Só para relembrar todos os princípios ativos e conhecer os novos laboratórios. E olhe que nem levei nada. Tem alguns atos bem simples que VIA DE REGRA nos lembram alguns amigos. Acho que assim será, para sempre. A cada vez que eu quiser olhar as novidades na farmácia, ouvirei Bubu. A cada vez que comprar um creme para o rosto/corpo, lembrarei de tia Neusinha. E cada vez que eu abro o creme, parece que eu ouço ela ao meu lado: lembre-se de passar de baixo pra cima e de dentro pra fora. Quando ficamos pelados conversando com o Leite, todos nós lembramos do Teo. E sei que minha nobre amiga também sempre lembra de Vitinho, Didi ou Bidu em determinadas situações. E às vezes eles ainda nem passaram pela história. O que mais rola é: "Cara, essa é a típica piada que Vitor faria!", e "Putz, Didi ia se amarrar demais".

É impressionante como a distância geográfica/temporal pouco tem a ver com a distância sentimental, e eu diria até espiritual. De vez em quando a gente se olha, e parece que tia MArgô está lá. É quando resolvemos arrumar as coisas e mudar as os móveis de lugar, por exemplo.

Impressionante como nosso contato vai beeeeeeeeeeeem além dos limites físicos!





segunda-feira, 28 de abril de 2008

better together

impossível não registrar esse post!! e ele vale por hoje(28) e ontem (27). aniversários de duas entre as pessoas mais queridas, fofas, lindas e amadas do meu coração. agradeço diariamente por ter vocês ao meu lado, em tooooooooooodos os momentos. E por me mostrarem o melhor sentido da palavra primo. Ontem liguei pra Kiko cantando na MAIOR empolgação e ele disse: porrrrrrraaaa, era melhor recitar...canta mal pra caraio...rsrsrsrsrsrrsrsrs...!! Então vou registrar aqui a song que com certeza define super bem o que eu sinto por esses dois seres abençoados. Cada frase é associada à algum momento, discussão, sentimentooo...tá tudo aí!! Até o when i wake up you look so pretty sleeping next to me faz todo o sentido, embora talvez seja diferente do sentido do autor. Afinal de contas, foram zil manhãs primais, na casa de praia, em hotel, em casa, apartamento, fazendo armengue ou não, nós os primos muitas vezes acordamos together, e sempre felizesssss!!
Amooooooooooooooooo vocês, do maior tanto possível...!! God Bless You two!!


there's no combination of words i could put on the back of a postcard
no song that i could sing but i could try for your heart
our dreams they are made out of real things
like a shoebox, a photograph, a sepia tone lovin
love is the answer there is for most of the question of my heart
like why are we here and where do we go and how come it's so hard
it's not always easy and sometimes life can be deceiving
i'll tell you one thing it's always better when we're together
mmh it's always better when we together
yeah we'll look at the stars when we're together
well it's always better when we're together
yeah it's always better when we together
and all of these moments just might find a way into my dreams tonight
but i know that they'll be gone when the morning light sing
sit brings new things for tomorrow night you see
that they'll be gone too too many things i have to do
but if all of those dreams might find a way into my day to day scene
i d be under the impression i was somewhere in between
with only two just me and you not so many things we got to do
or places we got to be
we sit beneath the mango tree now
yeah it's always when we're together
somewhere in between together
yeah it's always better when we're together
yeah it's always better when we're together
i believe in memories
they look so pretty when i sleep
and i .. and when i wake up you look so pretty sleeping next to me
but there is not enough time
there is no.. no song i could sing
there is no combination of words i could say
but i will still tell you one thing
yeah it's always better when we're together

segunda-feira, 14 de abril de 2008

Cronicamente viável...Ana & Jorge

Ana & Jorge 01

-Triiiiimmmm...!
Ana olha na bina do aparelho telefônico e vê o número do trabalho de Jorge.
-Oi Orrrrgui!- Ana tinha uma coleção de apelidos para o seu amigo.
E eis que uma voz muita séria diz:
-Ana, eu passo o dia inteiro ao lado deste telefone. Sinceramente não consigo entender porque você insiste em ligar no meu celular.
-Poxa Gê, eu esqueço. E pra mim não faz diferença.
Jorge respira fundo...
-Eu tenho certeza que nós já tivemos esta discussão.Indiretamente, faz muita diferença pra você. E para mim. E para todos os cidadãos deste país.
Jorge faz uma pequena pausa e retoma:
-Ana, você abusa dos cofres públicos.
Ana ri. Ela se considera uma servidora honesta, um bom exemplo. "O Jorge exagera demais", ela pensa.
-Eu não vejo graça nenhuma nisso, diz o amigo. E continua:
-E depois que ainda não comprovaram que o uso do celular não é cancerígeno.
Ana ri muito mais.
-Esse é o Jorge, esse é o Jorge, eeeeeeesse sim é o Jorge!Mas diga, você ligou só para fazer esta observação ou ainda há mais alguma coisa?
-Têm sim. Mais duas coisas. Bichana, estou com o extrato de seu cartão de crédito na mão. Juro que não consigo entender como você gasta tanto com gasolina. Ou seu carro está com problemas, ou é você quem está. Me confirme se o seu itinerário diário é: casa, trabalho, faculdade.
-Não é bem assim, Guinho. Há dias em que eu tenho disciplinas pela manhã e à noite, ou seja: tenho que ir na faculdade duas vezes. E depois que eu quase sempre durmo lá no Tico, no Lago Norte. É longe, Gê.
Jorge suspira e solta:
-Eu acho que você precisa se organizar, isso sim. Pegar ônibus, carona, o que seja. Mas nada justifica esses valores. Haja petróleo. Sem falar na poluição que você deve causar, zanzando com esse carro o dia todo. Aliás Ana, você deveria pensar mais no coletivo, sabe? Ter um pouco de amor pela humanidade. Você não quer deixar melhor este mundo onde seus filhos viverão? Sem falar nos seus netos. Você não pensa neles, né?
-Che-ga!!, Ana interrompe seu amigo.
-Qual é o próximo assunto, Jorge Truda? Diga logo antes que minha paciência se esgote.
Poucas coisas irritavam tanto seu amigo quanto ser chamado de Jorge Truda. Mas ele fingiu que não escutou a alcunha e respondeu:
-O próximo assunto chama-se café.
-Ha ha ha ha! Ana ri ironicamente.
-Olha aqui Guinho Truda, se você acordou com o objetivo de me detonar, considere-se vitorioso. Mas já está bom por hoje. Essa sua implicância com meu café não vai te levar a nada. Que crise é essa Truda? Crise dos 30? Pois ninguém me avisou que ela chegaria. Você enlouqueceu, só pode. Aliás Guinho, sabe o que eu acho? Que você sempre foi assim. Você sempre...
-Ana Bichana!!, interrompe Jorge.
-Olha, eu achei um site super bacana sobre café e mandei pro seu e-mail, você vai gostar. Fala desde economia cafeeira até o barismo, e têm umas receitas que são a sua cara. Tem até uma coluna que fala sobre seus benefícios.
Quando Ana começa a se arrepender de ter sido tão grossa, Jorge continua:
-Sim, mas os benefícios de uma xícara diária, claro. Tomando uma garrafa térmica inteira, só há prejuízio, Bichana. Por isso que você vive assim estressada, nervosa. E sabe o que mais? Esquece o e-mail.
-Tchau Jorge!
-Tchau mesmo, Ana!

sexta-feira, 11 de abril de 2008

Não sei se gosto tanto assim dos cosmonautas!


Parece loucura isso que eu vou falar mas é assim, literalmente como eu vou dizer!! Quando você mais precisa de sua melhor amiga, ela está no Gama com os cosmonautas, num local onde o celular não pega!

Aiiiiii...tô de broken heart e ela tá far away!! Quando ela voltar vai me trazer sorvete, chocolate e band-aid. Tudo to fix meu coração em pedacinhos....buáááááááá!!!!!!!

pós primeiro de abril

Não gente, como a maioria já sabe, nós não fomos ao Tibet. E provavelmente não iremos tão cedo. Mas até que gostei dos telefonemas: "cara, esse lance do tibet é real? porque você não disse antes??". It´s not real, babes!! O post do cosmonauta, escrevemos aqui mesmo nessa brasila! E já há boatos de um churrasco no gama para homenagear nossos amigos do Espaço!
E por falar em russos, preciso compartilhar que na sexta passada fui ao Ballet Russo, e bombei!! Neste caso, significa que eu conheci TODOS os bailarinos e todos eles autografaram meu programa! Emoção demais!

Neste exato momento, estamos acabaaaaaaaadas da Funfarra(éltima, por sinal) e nos preparando para nossas happy trips! Bombaremos ainda mais esse semestre, só alegrias!

PARABÉNS COSMONAUTAS!!


Gente, olha quem tá aqui ! Nosso querido Gagarin!!! É a boladojogo today, no dia do cosmonauta! Segundo o wikipedia, Astronauta, cosmonauta ou taiconauta são palavras que designam as pessoas que pilotam uma espaçonave, ou são passageiros nela, desenvolvendo atividades no espaço exterior. Nos EUA, pessoas que viajarem acima de uma altitude de 80km são considerados astronautas, mas de acordo com a FAI (o resto do mundo baseia-se neste padrão) somente as pessoas que chegararem a uma altitude superior a 100km são considerados fazer parte de um vôo espacial.
Astronauta é a expressão usada para designar aqueles que foram ao espaço em uma espaçonave
estadunidense, e cosmonauta kosmonavt (космонавт) para aqueles que o fizeram em uma espaçonave soviética ou russa. Ambos os termos ficaram consagrados durante a corrida espacial, na década de 1960, entre os EUA e a URSS. Por sua vez, a expressão taikonauta 太空 (tàikōng, espaço), surgida em 2003 quando a China lançou seu primeiro foguete tripulado, denota aqueles que foram ao espaço em espaçonaves deste país.
O primeiro cosmonauta da história da
exploração espacial foi Iuri Gagarin que em abril de 1961 fez um vôo orbital a bordo da nave soviética Vostok, vôo que provocou, como reação dos EUA, a corrida espacial e a chegada do homem na Lua.

terça-feira, 1 de abril de 2008

foi bom enquanto durou


Aos nossos amigos, familiares e outros leitores, gostaríamos de agradecer imensamente por toda a atenção e contribuição enquanto mantivemos nosso querido blog.

E comunicamos à vocês, em primeiro lugar, que as editoras deste blog serão substituídas por editores ainda mais legais e divertidos :D

Sim, salabim!

Há algum tempo já estávamos planejando uma grande viagem de auto-conhecimento, e depois de muitas crises, decidimos que estar no Tibet seria SIM uma experiência singular e que faria toda a diferença em nossos caminhos. Foi uma decisão muito difícil, mas muito consciente.

A partir de maio estaremos longe de todo esse barulho, de toda essa balbúrdia, de toda essa algazarra mundana e que não nos traz nada de interessante, só preocupações que, na verdade, não existem.

Sempre que pudermos iremos mandar alguma notícia. Eu estarei em um mosteiro e minha nobre amiga, em outro. Afinal, devemos nos concentrar em nossos próprios caminhos, não é?

Estejam certos que vocês estarão sempre em nossas orações.

Namastê!

domingo, 30 de março de 2008

Primeiro Encontro

Pensando bem, o título deste post bem que poderia ser "mania, ou toc?!!?"
Acabo de chegar de um first-last date. E já subi agoniada, abri a porta do apartamento e soltei: "odeiooooo descer do carro". E minha prima: "e aí, como foi o cinema? Eu só respondia: "odeio descer do carro". Achei que todo mundo odiasse, mas parece que não. Além de minha prima, conversei com mais dois amigos que estavam aqui embaixo do bloco, e eles também não se identificaram com minha mania(ou doidice ou viagem, enfim). Pra começar, tirei o cinto de segurança 1 km antes de chegar em casa, já agoniada. Claro que ele não entendeu e comentou. Mal sabia ele que eu já tava sofrendo, com medo da hora de ter que descer do carro. E foi pior do que pensei. De tão nervosa, eu suei. Suei, gaguejei e disse coisas non sense. Pior do que descer é se despedir. Eu nunca sei o que fazer. Dá vontade de sair correndo. E foi o que eu fiz. Desci e corri, sem querer. Aí liguei na seqüência, porque se eu me achei doida, imagine ele...que não atendeu, claro.
Dá próxima vez eu dirijo, só pra não ter que descer! Ou então eu perco de vez essa mania maluca.

quarta-feira, 26 de março de 2008

cena de novela(quem é doido 1000 vezes)

Para tuuudoooooo! Tô begeeeeee!! Eu e todos que estavam na 209 norte por volta de 21h05.
Lá vinha eu, exausta, morrendo de dor na garganta, dirigindo meu caranguinho. O sinal da quadra fechou e eu já ouvia os berros antes mesmo de parar o carro. No carro ao lado, uma cidadã absolutamente descompensada e passional, berrava: " eu NUNNCA fiz isso, seu mentiroso feladaputa". Berrava quanto? Bem, ela estava no meio da 209 e dava pra ouvir do Giraffas, com bastante movimento na quadra. Todos os transeuntes olhando, boquiabertos. Confesso que já estava me sentindo suuuper mal(tá, eu tô sensivel mesmo...tpm, dor na garganta, enfim), e eis que TCHIPAFFI....largou a mão na cara dele, bem quando eu resolvi olhar. Desviei rapidamente o olhar e graças à Deus o sinal abriu...Não dá pra expplicar a altura dos berros e a intensidade do TCHIPAFFI. Deve ter sido muito grave o que ele fez, né? Ou não... Aaaaanyway, espero que eles fiquem bem as soon as possible.

terça-feira, 25 de março de 2008

A culpa é do Fidel




Se alguém queria encontrar as editoras deste humilde blog, era só ter ido à última sessão do filme "A culpa é do Fidel", na Academia de Tênis, no domingo que passou.
Sim, lá estávamos nós e nosso grande amigo sergipano, delirando diante da telona e desejando que o filme durasse pelo menos mais duas horas.
Adoro filmes políticos com crianças lindas, fofoletes e que dão show de interpretação. Digo isso porque é o que tem rolado ultimamente em maravilhosas produções latino-americanas, principalmente.
Bem, neste caso é uma produção francesa, mas envolve Chile e Espanha em sua trama.
Tá, por apenas um momento deixemos de lado as divergências e decepções sócio-políticas, que dá muito pano pra manga. Falemos das lembranças boas e divertidas, de quando achávamos que mudaríamos o mundo. Eu tive uma infância super parecida com a da personagem principal, mas em momentos e lugares diferentes. Meu pai sempre militou na esquerda e eu acabei respirando muito isso...desde bebê frequentando comitês e manifestações. Minha canção de ninar? "Lula lá, brilha uma estrela...". Me perguntava milhares de coisas e enchia o saco de meu pai para que ele me explicasse. Claaaaaaaaro que não tanto quanto a curiosíssima personagem, que aliás, me lembrou bastante à sempre amada Mafalda, de Quino. O filme também me lembrou das tantas descobertas nos livros da Biblioteca lá de casa. Praticamente alfabetizada com Marx, Weber, Chico Buarque...o pequeno detalhe é que eu não entendia ABSOLUTAMENTE NADA e insistia na leitura até o final, só Deus sabe pra que!
Bem, de qualquer forma, lá estava eu com todo o amor e esperança(esperança essa que falta à Mafaldinha), curtindo totalmente
minha vida de criança feliz, feliz a cantar. Fico sempre emocionada quando observo esses olhares infantis, porque me lembra uma parte fantástica da minha vida! Da parte chata a gente fala depois, né?!

Bom filme à todos!

MORENGUEIRA CONTRA 007(Miguel Gustavo)



Começa o filme com o 007 saltando em Santos com a Claudia Cardinale com seu decode italiano ela é tão bela que ninguém vê o James Bond junto dela os dois se hospedam na concentração do Santos e entre tantos ninguém sabe por que é que ela desfila de biquini na piscina e na maior intimidade com o Pelé a bonitinha não percebe a tabelinha que ele faz Pelé controla a Cardinale da-lhe um beijo e avança mais GOL DO BRASIL(temperamento latino é fogo) O James Bond neste instante dá o flagrante diz que Pelé tem que pagar pelo que fez entram em luta corporal e o 007 vai abater o jogador com um soco inglês porém Moreira que assistia toda a cena entra sem pena vai no set e manda o pé rabo de araia e antes apara o soco e livra cara do Pelé Moreira leva James Bond para o Dops e na fofoca mais fofoca que eu já vi vem jornalista, embaixador inglês se irrita e entra na fita todo o Itamarati Ai Moreira leva a Claudia Cardinale para jogar um pafi-pafe em Guarujá vão no boliche, comem pizza lá no Braz e cantam um samba de Vinicius de Moraes Claudia confessa o seu amor por Morangueira faz a besteira de dizer que o ama com fé só foi o Santos com o 007 pra ajuda-lo a raptar nosso Pelé roubar Pelé pra não jogar contra a Inglaterra porque os inglesses sofrem de alucinação e toda noite vem um fantasma de chuteiras fazendo gol no gol da sua seleção BREQUE: E vem o time brasileiro se sagrando campeão, termina o filme com Moreira dando um dible no espião, O James Bond foi derrotada e acabou sua missão

segunda-feira, 24 de março de 2008

Coçadora de cu!

Estava eu com um grande amigo figuraça parados no sinal do cruzamento esperando ficar verde. Foi quando a gente olhou para um casal que queria atravessar e a menina estava com a mão no cu do cara, eu nem tinha me tocado, mas Rodrigo estava insano e gritou: Gabriela! Olha a mulher com a mão no cu do cara! Aí rolou aquele bafafá, eu não parava de rir, Rodrigo nem se fala e a mulher lá, firme e forte.
Sabe aquele tipo de casal que sai andando na rua com a mão na bunda do outro, fingindo que ta com a mão no bolso? Então, pois esse era bem mais íntimo, acredite, ela estava com a mão no cu dele. Fazia até uma conchinha com a mão para melhor adaptar-se ao novo local de carinho.
Eu não acreditava na cena que estava presenciando e Digão, completamente descontrolado do meu lado não parava de falar: Cara... mão no cu?! Ninguém ama tanto! Nessas alturas eu já estava passando mal, minhas bochechas, barriga, ombros super doloridos de tanto rir. Gargalhadas e mais Gargalhadas. Eis que o sinal abre, e a mocinha lá, não satisfeita com o carinho começa a coçar, belive me, a coçar mesmo, e não pense que era de leve não, coçando estilo cavando. A gente não agüentava, o sinal abriu e eu queria abrir o vidro de qualquer jeito, comecei a bater, gritar, sei lá... Eu queria falar com a mocinha dos fetiches brioco – coçar – rua. Digo, muito mais esperto do que eu, abriu o vidro e gritou: COÇADORA DE CU! E a mocinha nem se abalou, acho até que gostou do título. Mas a gente adorou! Afinal de contas, ninguém coça o cu do outro esperando o sinal fechar para atravessar...

sexta-feira, 21 de março de 2008

Feliz Chocolates!!


A equipe do temperamentolatino deseja a todos uma Feliz Páscoa!!

quarta-feira, 19 de março de 2008

da história se fez a expressão


Conhecem a expressão Música de elevador? Se refere àquelas musiquinhas ambientes super lights, no mesmo estilinho Antena 01. Às vezes um jazzinho bacana, às vezes um Elton John, uma Laura Pausini ou até mesmo Eric Clapton. É a mesma trilha dos consultórios médicos, podem reparar.

Mas a novidade agora são as notícias de elevador. Se vocês nunca ouviram essa expressão, tentarei explicar. Sabe aquela tv de cristal líquido que te distrai enquanto você tá lá subindo e descendo edifício afora? Além de evitar o constrangimento e a ansiedade de ficar olhando praquele seu colega chato de trabalho ou olhando pros pés da galera, ela te deixa mais informado, já que comunica as famosas notícias de elevador, por exemplo:



  • Bebês prematuros precisam de mais cuidado na infância.

  • Atentado duplo mata 04 pessoas.

  • Girafa de 05 metros precisa de transporte especial.

  • Fãs de Rihanna são proibidos de levar guarda-chuvas em show.

Entenderam bem ou eu preciso definir melhor? São essas notícias espetaculares e importantíssimas, sem as quais ficaríamos totalmente por fora do babado! Olho nelas, meu povo!



Menta Fresca


Sinceramente galera, o cara que inventou a camisinha de menta, foi o mesmo filho de uma quenga que inventou o secador de mão.

Sério mesmo, que mania que as pessoas têm de ficar colocando menta em tudo. No cigarro até que vai, acho até gostosinho, fica refrescante. Mas na camisinha? Faça mil favores! Pra mim, o pior é quem compra. Até sabia que existia, mas daí até alguém comprar, já é um passo enorme. Quando Marcinha me contou do ocorrido com ela, quase tive um troço de tanto rir.

Lá estava Márcia, naquela saliência toda com seu pinto amigo - um camarada bacana, divertido e digamos que um tanto quanto bruto, batizado de Caio - caricias pra lá, beijocas pra cá e quando a coisa realmente esquenta Caio pega um preservativo e abre. Nisso sobe aquele cheiro fortíssimo de menta fresca misturado com plástico e lubrificante, Márcia sem entender muito bem o que se passava, perguntou: Que cheiro horrível é esse? Caio meio que sem graça responde que não era nada e continua com o procedimento tentando disfarçar. Quando neguinho começa o rala e rola, Márcia finalmente entende o que rola, mas não ralou e sentiu a bichinha lá arder só de triscar como se tivesse ralado durante horas, não se agüenta e faz um escândalo: Mas que bosta é essa? Camisinha de menta?! Alguém compra essa merda?! Saiu correndo em direção ao banheiro pra lavar a região afetada pela pior invenção do século. Caio vai atrás, morrendo de rir e dizendo que quem tinha comprado era o amigo que mora com ele, que a dele era sei lá como, que isso, que aquilo e blábláblá. Marcinha não muito convencida, não se agüenta e começa a chamar o mocinho carinhosamente de Menta Fresca. Moral da história, menta é pra bala, pirulito talvez, mas pinto jamais!

terça-feira, 18 de março de 2008

Paaaaaaara que tá feio

É o seguinte, baixitos e baixitas...Ao longo do blog, terão vários textos com a temática Paaaaaaaaaara que tá feio!!
É pras situações bizarras e cafonas que acontecem com a gente. Aquelas cositas baixo-astral que acontecem a todos nós, sabe? Mas seguimos felizes e serelepes, sempre vendo e vivendo o que há de melhor.
Como aconteceram coisinhas bizarras ultimamente, no post de hoje eu quero agradecer IMENSAMENTE aos meus sempre fofoletes amissíssimos e primos amissíssimos, sempre com aqueeeeeeela paciência, de fazer inveja a Jó!! Que estão sempre aqui, guentando firme minhas maluquices e pirações, só esperando a sanidade voltar. Que o Universo os abençoe e coloque flores em seus caminhos.
E só pra lembrar, baixitos, as lições de hoje são:


1. É muito feio brincar com a fé com das pessoas...Mamãe não gosta, hunnnnnnft!!
2. É muito feio achar que seres humanos podem ser marionetes à sua disposição. Pior é usar a fé alheia pra manusear seres humanos. E muito pior achar que isso só acontece em Igrejas Evangélicas.
3. Fazer macumbinha doida pros outros, além de feio, é cafonéérrimo(acordem pra cuspir, por favor). É sério baixitos, é cafona por demais. É cafona, é brega, é bizarro sim! Paaaaaaaaaaaaaaaaaaaara, que tá feio!
4. Prefiro a fé cega e a inocência, à maldade e ao desrespeito. God bless our innocence!!
5. Deus é mais, um milhão de vezes.
Tinha que falar, não resisti...Até o próximo post!! Take care!!

quarta-feira, 12 de março de 2008

Antes fosse um exagero


Sabe aquelas situações em que você pensa: "tô num filme de Fellini", "me belisquem por favor" ou ainda "a vida exagerou dessa vez"...
Foi assim!
Manhã de sol em São Paulo, tô indo entregar um trabalho na faculdade, perto da estação armênia de metrô. Empolgação, disposição, acordei inspirada...Entrei no metrô na estação Brigadeiro...E eis que na estação Paraíso está armada a confusão...um empurra-empurra danado, muvuca, gritos e confusão...Fiquei asustada, coração disparou...Meu Deus, o que é que tá acontecendo? Um arrastão? Uma manifestação? Eu vou morrer? Vou ser pisoteada, na certa! Com dificuldade, as pessoas foram se amontoando no metrô, até superlotar cada vagão, inclusive o meu! As pessoas com fitinhas e faixas na cabeça e no corpo..." Eu amo Jesus"..."Jesus é o rei"..."Tô com Jesus e não abro", etc. Me parece que se tratava de uma marcha para Jesus...Claaaaaaaaro que não entrarei no mérito do quanto esse evento é necessariamente SURREAL dentro de meu limitado campo de conhecimento. Vamos aos fatos, somente aos fatos! A impressão que me deu é que apenas eu e mais 4 pessoas no meu vagão não participávamos da Marcha. Fiquei perdida, atordoada, um sentimento esquisito danado, bem parecido com o que a gente sente quando o personagem de Mastroianni chega na "Cidade das Mulheres". É o que melhor se aproxima do meu sentimento e impressão. Pessoas pulando, gritando e batendo palmas: "Jeeeeeeeeeeeesus, fiu fiu fiu....Jeeeeeeeeeeeeesussssssssssss, fiu fiu". Duas senhoras estavam sentadas juntas(sorte a delas) e quiseram entender o que se tratava. E uma moça gritou..."Geeeeeeente, ela não conhece o sangue de Jesus, vamos evangelizá-la agora". E todos colocaram as mãos sobre elas e as duas foram ficando entorpecidas com a gritaria...Uma delas se emocionou tanto que começou a falar sobre o câncer do marido, sobre seus problemas pessoais. E a mocinha gritava "PISA, PIIIIIIIIIIIISA no rabo da serpente"...E pisavam no meu pé, pisavam no chão, pisoteavam tudo...um prato cheio pra Fellini, eu pensava...E o pior veio depois: chegando à enooooooooorme estação da Sé, cheerleaders, com sainhas e pompoms rosas, faziam uma coreografia...Em cada blusa, uma letra...J, E, S, U, S! E gritavam: "Eu quero um J, eu quero um E(...) JESUSSSSSSSSSSSSSSS!(Sem palavras para descrever o tamanho da gritaria nessa hora- a torcida do meu Flazão é uma aprendiz perto deles). E melhorou: "Não tem Xuxa, não tem Pelé, Jesus Cristo é o rei que a gente quer, tututututu". Me desesperei...Eu pequena desse jeito, com claustrofobia ainda por cima, achei que fosse morrer ali...Mas não...Na hora de descer na estação foi aquela confusão. Todo mundo gritava: "Gente, a moça vai descer, abre abre pra moça passar"...E eu esbarrando em meio mundo, pedindo licensa, licensa, licensa...Ufaaaaa!!Consegui sair. Quem é doido!

segunda-feira, 10 de março de 2008

Pouco dia, muita pala

Não! Nada pode acontecer normalmente quando estamos juntas....!

A proposta era simplesmente ir numa colação de grau, mas nesse trajeto:

1. First of all...Descemos no elevador com duas mulheres mais ou menos de nossa idade, e uma delas diz: tem um celular tocando e não é o meu. Eu:- nem o meu. Carlinha: -nem o meu. A segunda mulher:- o meu tampouco. As duas se entreolham com uma cara de interrogação...nós descemos do elevador e elas continuam intrigadas, até que uma diz(falando muito sério e até com um medinho):- Noooossa, deve ser alguém do Além querendo se comunicar. A outra faz aquela exclamação de espanto:- Noooooossa...será?

2. Estamos saindo da quadra e um puta engarrafamento nos aguarda, em plena sexta-feira às 20h00...um trânsito lento, lento, lento, quase que 5km/h. Meu telefone toca, é meu colega de trabalho querendo despachar. Carlinha olha pro carro ao lado e grita:"Olhaaaaaaaaa, é Dindinho Abraço!! Lembra dele? Vaaaaaaaaai, alcança ele, por favor". E eu, naquele trânsito, tentando entender o que queriam no telefone, saio cortando todos os carros atrás de Dindinho. E quando eu pareio os dois carros, Carlinha grita: "Dindinhooooooooooooooo". O menino vira e ...não era Dindinho Abraço! Eu, com o telefone na orelha, simplesmente subi o vidro rapidamente e saí cortando todos os carros, morrendo de vergonha. Fiquei tão aflita que desliguei na cara de meu colega.

3. Paramos o carro no posto de gasolina da quadra vizinha, pra comprar cerveja. Afinal, queríamos matar a sede enquanto nos preparávamos pra ouvir todo aquele blá blá blá da colação de grau. Posto bombando. Duas vagas: uma com uma mesa repleta de machos tomando cerveja, a outra, de deficiente. Pensei: "São só dois minutos, vou estacionar aqui mesmo na de deficiente". Desci pesada de tanto remorso...os rapazinhos na vaga ao lado ficaram olhando e começou o tititi...Eu, toda desconfiada, digo: "Esse espaço onde vocês estão sentados...é uma vaga?" E um deles: "Não, mas aqui onde você estacionou é uma vaga sim, de deficiente". E eu, toda sem graça, gaguejando: "É, mas é rá-rá-rápi-pi-pi-do, e de qualquer forma, eu não sa-sa-sairei de pe-perto do ca-carro". E viro as costas...Um deles diz: "É, eu só não tô vendo NENHUMA deficiência"(Ai , que sacoooooo!!)Quando estou na fila do caixa com Carlinha, estaciona o carro da polícia atrás do meu! "Eita caraio Cacá, fudeu"...E saí correndo...Carlinha ficou no caixa, com o policial atrás dela, comprando coca-cola. A menina da frente? Comprava sedas sortidas, e mais um isqueiro...O policial nem ousou questionar...Nós achamos esquisito maaaaaaaasss...Brasília Legalize!!


4. Fomos visitar a reforma do meu apetico ...Carlinha saiu correndo pra não tomar chuva e levou um tombo feeeeeeeeeeio....tchu-páá, no chão, com as pernas pro alto..Caiu caindo, de bunda e tudo. Fiquei tão preocupada que nem consegui dar risada. Mas ela tá bem, obrigada!

(Só uma observação: a comunicação do Além, no item 1, era o ipod de Cacá...fomos descobrir no elevador do meu apetico, logo após a fatídica queda). As mocinhas devem estar assustadas até agora.

5. Com tantas paradas e interrupções, parece um pouco óbvio que não chegamos a tempo para colação, né? Pois é, não chegamos mesmo.

Perdemos o francês

Nada mais normal do que fazer amizades entre uma e outra cerva no Piauí. Desta vez fizemos um amigo francês. Lá estávamos: eu, Jujuba e Dandara, conversando sobre o governo Lula, quando avistamos um ser humano bebendo sozinho e lendo um guia turístico sobre o Brasil. Como todos nós sabemos que beber sozinho é FIM DE CARREIRA, abordamos nosso futuro amigo na maior simpatia. Conversa vai, conversa vem, resolvemos zarpar para uma festinha Hip Hop na Unb. O francês era ótimo, inteligente e tal maaaas... levar pra balada seria um exagero, né? Bem, não teve outro jeito: lá foi ele para sua primeira festa no Brasil. Nós três INSANAS enlouqecendo no hip-hop, e nosso novo amigo um pouco perdido. Eu e Jujuba, aliás, por pouco não apanhamos. A verdade é que, para o ambiente, nós éramos duas pequenas pattys tentando se enturmar. Quando a gente achou que estava abafando (mãozinhas pro alto- YO, YO!!), sentimos vááários olhares nos fuzilando ao redor. Olhamos uma para a outra com aquela cara de pegue o seu banquinho e saia de mansinho. Jujuba achou um par, Dandara também. Eu fiquei zanzando no melhor estilo tô numa boa, tô curtindo o batidão. Nos encontramos no final, já amanhecendo o dia, na entrada do Centro Comunitário. Quando já chegávamos em casa, Dandara dá um grito: -Eita porra, e o francês?? ...E começa o zumzumzum: -Porra, o que aconteceu? Cadê ele? E agora? Fudeu...Ai, coitado...E não tem táxi!! Ele não conhece ninguém, perdido nessa Unb..Ué gente, aceita: perdemos o francês!!

O caiaque era infantil!

Foi num feriado mais ou menos na década de 80 ou 90, quando eu, meus pais e várias famílias com filhos da mesma idade fomos para um Hotel Fazenda que ficava no interior do Espírito Santo. O hotel era espetacular, tinha tudo para proporcionar toda a diversão do mundo, além de quitutes deliciosos preparados por uma Tia super bacana.
Manhã de sol radiante e as famílias aflitas para aproveitar aquela vidinha mais ou menos. E então? Qual é a programação de hoje? Uhuuu, bora pro caiaque?
Chegando na área destinada a tal entretenimento todos pegaram o seu respectivo brinquedinho e já estávamos colocando todos os apetrechos necessários para remar. Quando olhei para a lagoa, estava lá, minha mãe, gritando ou rindo ou chorando ou implorando por socorro. Fiz uma confusão, pois não me agüentava de tanto rir, que todos perceberam o que estava acontecendo. Ela entalou no caiaque, quando foi tentar sair o troço virou e ela ficou de lado, bebendo aquela água de lagoa e rindo mais do que tudo. Ninguém deu muito bola, achávamos que era brincadeira, eu ria como se não houvesse o amanhã, alias estávamos todos rindo descontroladamente. E ela dizia: Gente! Pelo amor de Deus... alguém me ajude! É sério, entalei mesmo! Lembrando que ela estava morrendo de rir, entalada, com o caiaque de lado e tomando muita água imprópria. Mas aí, o instrutor cortou o nosso barato e deu um jeitinho brasileiro pra tirar o culotinho avantajado de dentro do caiaque, que era realmente de adulto.